25 de Abril: comemorar sempre a democracia e a responsabilidade cidadã

Não faz sentido que não se comemore o 25 de Abril na Assembleia da República. Como não faz sentido que, na actual situação de estado de emergência e normas de comportamento profiláctico devido às razões que se conhecem, sejam convidadas tantas pessoas para um espaço fechado e, ao que ainda há pouco ouvi, sem ser exigido o uso de máscaras.

Um representante de cada partido, um representante das personalidades e um representante das entidades habitualmente convidadas, com as distâncias físicas asseguradas e usando as protecções que são indicadas ao comum dos cidadãos em espaços públicos, não invalida o simbolismo da cerimónia e era um sinal clara de as normas indicadas pelas autoridades sanitárias são para cumprir por todos os cidadãos independentemente da sua condição ou cargo.

A comemoração nos moldes em que está anunciada, é um mau exemplo dado pela Casa da Democracia paradoxalmente no dia libertador da ditadura política. Assim se espicaçam os ataques desembestados contra a classe política, assim se alimentam os populismos.

Espero que nestes três dias que faltam, o bom-senso prevaleça.

 

João de Mello Alvim

 

ARepública